Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

12.6.11

Diálogo em alguns Atos - Podemos ter Tudo?

-Podemos ter tudo?
-Não podemos não...

-Podemos aspirar a tudo.

-Mas não conseguimos só porque queremos...

-Eu prefiro passar a vida perto dos pássaros à desperdiçá-la sonhando ter asas.

-É tenho que fazer alguma coisa...

-Então faça. Mas não pense que é a escolha certa, porque isso não existe.

-Eu faço minhas escolhas...

- Eu também faço as minhas...

-Você não é como eu. Talvez você tenha asas... E você quer que a sua vida tenha importância...Que tudo valeu à pena.

-Sim. Eu não quero só fazer o trabalho braçal, apertar parafusos e seguir instruções... como se a vida fosse uma manual a seguir. Quero algo, fazer com que alguma coisa ou alguém seja diferente, por ter acrescentado algo de valor, graças a mim. Isso sim, é fazer valer à pena...



^^

Nenhum comentário: