Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

3.9.09

Lembro-me bem do seu olhar.
Ele atravessa ainda a minha alma.
Como um risco de fogo na noite.
Lembro-me bem do seu olhar.

(...)

Deve haver ilhas lá para o sul das coisas
onde sofrer seja uma coisa mais suave.
Onde viver custe menos ao pensamento,
e onde a gente possa fechar os olhos e adormecer ao sol
e acordar sem ter que pensar em responsabilidades sociais
nem no dia do mês ou da semana que é hoje.

Abrigo no peito, como a um inimigo que temo ofender,
um coração exageradamente espontâneo
que sente tudo o que eu sonho como se fosse real,
que bate com o pé a melodia das canções que o meu pensamento canta.

Canções tristes, como as ruas estreitas quando chove.

[Álvaro de Campos]


^^

3 comentários:

Luna Sanchez disse...

Esse espaço livre, descompromissado e leve, criei dentro de mim, em contraponto à correria e às cobranças que sempre me faço.

Quando viro tirana, é para ele que corro.

Rs

Beijos, querida.

ℓυηα

°•~ ∂ąnnι °•~ disse...

Luninha, eu também criei um espaço assim, pra não enlouquecer...
Tem horas que dá uma tremenda vontade de chutar o balde. Se tudo resumisse em cobranças, seria fácil - é só fazer o que é determinado. O pior é ver tudo o que tá errado e estar sempre com as mão atadas.

Bjs amiga!
Te adoro!

=)

Luna Sanchez disse...

Ah, eu entendo...uma certa "impotência" diante dos fatos. Algumas circunstâncias nos deixam assim, mesmo.

Nos resta compensar, fazendo e dando nosso melhor naquilo que permite ser mudado. Acho que ameniza o sentimento ruim, e alegra a alma. ;)

Beijo, querida. Também te adoro. ^^

ℓυηα