Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

30.3.12

O que não se Grita


a vida que não sei, esta agonia
de ser enigma, azar, criptografia
e toda esta discórdia de Babel.

por trás do nome há o que não se grita;
hoje senti a sombra que gravita
nesta agulha tão leve e azul e nova

visando o mar e os seus confins medonhos,
com algo de relógio visto em sonhos
e de ave adormecida que se move.

[Jorge Luis Borges]


^^

Nenhum comentário: