Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

4.3.12

O Homem Que Sabia Demais


Sabia, sim sabia mais e mais e mais e mais...
O homem que sabia cheio de eletricidade
Ele sabia que o amor é um tiro,
num alvo além da visão,
capaz da miragem mais linda
No olho de um furação...
Sabia que o desejo
é um rio,
cheio de eletricidade,
como um animal
no cio
indiferente á felicidade

O homem que sabia demais, não sabia,
não sabia, esquecer nem voltar atrás
Pois sabia mais, muito mais do que podia saber
sabia mais e mais e mais e mais... mais do que eu
ele sabia que sua paixão debochava da velha moral,
como um feitiço absurdo muito além do bem e do mal

Continuava sempre sozinho,
procurando entender a razão
que lhe tornava um ser tão sabido mas não, não
Não explicava a solidão


[Skank]



^^

Nenhum comentário: