Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

12.8.11

Aconteço na Margem do Tempo





...ou na ausência simétrica dos instantes,
quando, no movimento perene das pálpebras,
alguém desafia o susto a compor silêncios
e os ecos a ser conjugação simples de harmonias...



[Ana de Sousa, In Fragmentos (28)]


^^

Um comentário:

Luna Sanchez disse...

Eu me calaria também.

Beijo, Danni.