Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

14.1.11

10.000 Destinos


Meus esforços pra entender o mundo fracassaram
São destroços frágeis de um naufrágio

Minha cruz, uma chave philips, cinco linhas
Um boteco na esquina entre o profano e o sagrado

Morde a morte, a mordida
Solte o bote, salva-vidas
Há mais de mil destinos na esquina
Outras vidas esperando em cada esquina

Adoro manter as cores vivas, com certeza
Vermelho sangue, amarelo ouro, verdes mares
Azul do céu, azul do mar, aí está outra dúvida
Entre a cruz e a espada

10.000 destinos, em cada esquina...
10.000 destinos...


[Composição: Humberto Gessinger]


^^

2 comentários:

Faça a Diferença !!! disse...

Olá Danni,


Como sempre você continua postando belos textos.

Continue sempre assim...

Abraços,
Ricardo Sérgio

Daniel Savio disse...

10.000 destinos sim, mas pelo jeito uma única vontade a impulsionar a vida...

Fique com Deus, menina xará Danielle.
Um abraço.