Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

7.12.10

A rigidez dos gestos parados


Porque o tempo é invisível perdi
o poder de te nomear

se algum dia voltares não vais reconhecer
o grau zero das nossas despedidas:

conhecer por antecipação o cenário
silencioso onde alguém fala palavras
que não ouves

tens em ti a rigidez dos gestos parados
entre os silêncios


[Maria Sousa]


^^

3 comentários:

Luna Sanchez disse...

Frieza triste, sombria...seria bom poder pular essas partes.

Beijo, flor.

ℓυηα

Curiosa disse...

lindíssima imagem ....
valeu por compartilhar ....

Daniel Savio disse...

Mas assim, é simplesmente um momento, um momento que aprendemos um pouco mais de nós e do outro...

Mesmo que seja a última lição.

Fique com Deus, menina xará Danielle.
Um abraço.