Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

17.11.10


Às vezes tenho idéias felizes,
Idéias subitamente felizes, em idéias
E nas palavras em que naturalmente se despegam...

Depois de escrever, leio...
Por que escrevi isto?
Onde fui buscar isto?
De onde me veio isto? Isto é melhor do que eu...
Seremos nós neste mundo apenas canetas com tinta que traçamos?...
Com que alguém escreve a valer o que nós aqui.

[Álvaro de Campos]


^^

2 comentários:

Rita da Maçaroca disse...

Ai Pessoa Pessoa... O génio!

Daniel Savio disse...

Imagina que a reposta seja sim (que somos canetas com a tinta que traçamos na vida), mas contudo, dá para melhorar a tinta de acordo com que vivemos...

Fique com Deus, menina xará Danielle.
Um abraço.