Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

1.10.10

Elogiemos as Mulheres Estúpidas


(...)
Não vivem no mundo real, dizemos para nós próprios ternamente, mas que raio de critica é essa? Se elas conseguem não viver nele, melhor para elas. Nós também preferíamos não viver. E de facto elas não vivem nele, porque tais mulheres são ficção: compostas por outros, mas mais frequentemente por elas próprias, embora mesmo as mulheres estúpidas não sejam tão estúpidas como querem aparentar: elas fingem por amor.
Os homens amam-nas porque elas fazem com que mesmo os homens estúpidos se sintam espertos;
as mulheres pela mesma razão, e porque são relembradas de todas as coisas estúpidas que elas próprias fizeram; mas acima de tudo porque sem elas não haveria história.
Nenhuma história! Nenhuma história! Imaginem um mundo sem histórias.
Hypocrite lecteuse!Ma semblable! Ma soeur!

Elogiemos as mulheres estúpidas, que nos deram a li-te-ra-tu-ra.


[Margaret Atwood]



^^

3 comentários:

Daniel Savio disse...

Mas não quer dizer que não tenha semelhanças entre as mulheres reais e as estupidas...

Fique com Deus, menina xará Danielle.
Um abraço.

Valquiria Calado disse...

Abraço e bom fim de semana.

Na emoção se sair do casulo
no colorido que dei ao sonho
nas formas geometricamente coloridas das asas
no brilho cintilante que deixei no ar:
Havia amor, paixão, deslumbre...encanto!

Papo de Garota disse...

”Você sabe que pode. Viver sozinha seria terrível, mas não o fim. Você simplesmente se acostumou com a idéia de se deixar cativar, se apaixonar. Ter um ombro, um colo, ter uma fonte segura de desejos. E isso nunca para, somos mimados.”