Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

5.2.10

Gestos


Não há pressa

Os degraus, de novo, acertam passos;
volto a saber como contá-los, do sonho:
as sombras já não saltam as varandas,
as garças regressam,
volta o silêncio dos gestos repetidos.

[David Fernandes]


^^

6 comentários:

Marcelo Mayer disse...

de o a 100. e tem gente que quer ir do 50 ao 10...
analogia viagem de minha parte

Luna Sanchez disse...

E tudo volta ao compasso.

Beijo, querida.

ℓυηα

Marcelo disse...

degraus

dificeis de subir

pra descer é só piscar

abraço

Daniel Savio disse...

Menina, sempre não á pressa para voltar para a solidão...

Fique com Deus, menina xará Danni.
Um abraço.

Sônia Silvino disse...

Danni!
Adoro o teu espaço! Aconchegante, lindo e nos faz pensar...
Bjkas!

Menina Misteriosa disse...

Hum... quero tanto isso... Por enquanto, continuo com pressa... intensamente apressada!

http://meninamisteriosa.wordpress.com/
http://www.aceuabertodaboca.blogspot.com/