Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

26.11.09

Sob a Luz do Sol

Quero das horas escuras cumplicidade em qualquer loucura
Quero as noites em claro a eletricidade, um luar de mil watts
Já não morro mais de medo que o tempo escorra pelos dedos
Já não sinto quase nada na madrugada fria

Quero a sujeira das ruas nas veias do asfalto quero me injetar
Quero o perigo correndo comigo sem nunca poder me alcançar
Já não morro mais de medo que o tempo escorra pelos dedos
Já não vejo quase nada sob a luz do sol...

Quero a cidade vazia o clarão do dia me ofusca a visão
Minha cabeça lateja meu corpo cansado se espalha no chão
Já não morro mais de medo que o tempo escorra pelos dedos
Já não sou mais quase nada sob a luz do sol...

[Composição: RPM]


^^

7 comentários:

airlon disse...

bons tempos de RPM, bons tempos... bjo moça, saudações musicais!

APS

Sil disse...

Pediu pra sair ontem heim...
Coisa feia!!

rs...

Adorei o lance..
Bjos

Luh disse...

OIeeeee bom dia pra vc.. passando pra ver mas uma vez seus textos e fotos maravilhosas!


Bjos da luh!

Layara disse...

...ja nao tenho medo...

Linda essa musica e LInda voce!

beijos de Luz!"

Luna Sanchez disse...

Estou em outro momento, mas a composição é boa, bem boa.

Beijo, Dannizinha.

ℓυηα

Maria disse...

DANNI COMO SEMPRE LINDO SEU POST E FOTO.
NADA COMO A LUZ DO SOL PARA NÃO TERMOS MEDOS.

:)) BEIJJJJJJJJJJJJ....

Daniel Savio disse...

Aff, há muitos queros neste post...

Transforme em "faço", ok?

Fique com Deus, menina xará Danni.
Um abraço.