Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

25.11.09

Declare Guerra aos que Fingem te Amar!


Vivendo em tempo fechado
Correndo atrás de abrigo
Exposto a tanto ataque
Você ta perdido

Nem parece o mesmo
Tá ficando pirado
Onde você encosta dá curto
Você passa, o mundo desaba

E pra te danar
Nada mais dá certo
E pra piorar
Os falsos amigos chegam
E pra te arrasar
Quem te governa não presta

Declare guerra aos que fingem te amar
A vida anda ruim na aldeia
Chega de passar a mão na cabeça
De quem te sacaneia

Vivendo em tempo fechado
Correndo atrás de abrigo
Exposto a tanto ataque
Você ta perdido

E pra se ajudar
Você faz promessas
E pra piorar
Até o papa te esquece
E pra te arrasar
Nem o inferno te aceita...
.
.
[Cazuza]
^^

6 comentários:

Marcelo Mayer disse...

se sabe escolher tão bem as imagens, poderia arriscar poemas teus aqui

Menina Misteriosa disse...

Adoro Cazuza!
E, por mais que a gente tente, alguns dias ficamos assim mesmo.
Para declarar esta guerra, luto constantemente...
Beijos

Luna Sanchez disse...

Está declarada, então!

Beijos, Danni.

ℓυηα

Mr. Almost disse...

O único amor verdadeiro é o amor ao Vasco.

A propósito: Não reabriram mais o "Calabouço" lá no Clube de Regatas?

Ruim, né?... Aquele bacalhau...

Daniel Savio disse...

Aff, o que está acontecendo contigo?

Que história de falsos amigos é esta?

Fique com Deus, menina xará Danni.
Um abraço.

Sil disse...

Flor...

Nem tinha lido ainda este post.. mas achei o máximo.. é exatamente o que tenho feito.. e pra ser sincera, está me fazendo muito bem!!

=)

Bjos e fica bem!!