Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

18.10.09


Há na intimidade um limiar sagrado,
encantamento e paixão não o podem transpor -
mesmo que no silêncio assustador se fundam
os lábios e o coração se rasgue de amor.

Onde a amizade nada pode nem os anos
da felicidade mais sublime e ardente,
onde a alma é livre, e se torna estranha
à vagarosa volúpia e seu langor lento.

Quem corre para o limiar é louco, e quem
o alcançar é ferido de aflição.
Agora compreendes porque já não bate
sob a tua mão em concha o meu coração.


[Anna Akhmátova]

^^

5 comentários:

Déia disse...

Uau... que lindo!

Clap Clap... de pé!

bj

Layara disse...

...que delicia de texto...

o limiar, ah! essa tênue linha entre o sentimento de amor e dor...

Beijo e otima semana com tudo de bom que desejares!

Kátia Ruivo disse...

lindo texto...

meus instantes e momentos disse...

Parabens pelo post.
Uma poesia bela e forte.
Bonito.
Maurizio

Luna Sanchez disse...

Lindo. Merece suspiros e mais suspiros. ^^

Beijo, amiga.

ℓυηα