Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

24.9.09

Reconhecendo a primavera hoje
senti a alegria dos encontros
de longe em longe
a respiração de uma sonata
entre o tema primeiro
mas a fuga urgente e sufocada até ao termo
gritei quero
as portas abertas ou fechadas
de vez
que não se confundam as razões
mas corpo inteiro a consequência toda.

Reconhecendo a primavera hoje
troncos e raízes são os mesmos
na boca porém a fruta fresca
sabia por demais que era já outra.


[Teresa Balté]
^^

3 comentários:

Luna Sanchez disse...

Hummmmmmm...boa, muito boa, garota!

A "mesma" primavera, mas outros sabores.

Eu gostei assim. o/

Beijo, Dannizinha.

ℓυηα

Palma da Mão disse...

Quando colocamos cor numa nota de música, até um simples pedaço de pão vazio tem o sabor do mel:)
Lindo o seu cantinho, amei mesmo!
Obrigada pelas visitas, ainda que silenciosas:)volte sempre que quiser, a porta fica sempre encostada, beijinhos

Luna Sanchez disse...

Voltei, amiga!

Trouxe dois selinhos pra ti :

esse

http://coleccion-recuerdo.blogspot.com/2009/09/esse-blog-daria-um-livro.html

e esse

http://coleccion-recuerdo.blogspot.com/2009/09/mais-que-parceiros.html

=)

ℓυηα