Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

6.9.09

*Nem sei bem se sou eu quem em mim sente...


Quando olho para mim não me percebo.
Tenho tanto a mania de sentir
Que me extravio às vezes ao sair
Das próprias sensações que eu recebo.
.
O ar que respiro, este licor que bebo,
Pertencem ao meu modo de existir,
E eu nunca sei como hei de concluir
As sensações que a meu pesar concebo.
.
Nem nunca, propriamente reparei,
Se na verdade sinto o que sinto. Eu
Serei tal qual pareço em mim? Serei
.
Tal qual me julgo verdadeiramente?
Mesmo ante as sensações sou um pouco ateu,
Nem sei bem se sou eu quem em mim sente.
.
.
[Álvaro de Campos]

^^

3 comentários:

Luna Sanchez disse...

Ah, se eu pudesse faria algumas inversões e traria "coisas" do sentir para o existir...talvez me parecessem, ao toque, ao paladar, ao olfato e à visão, como penso que sejam, nos meus muuuuuitos devaneios.

Talvez, né, Dannizinha...talvez. Poderia ser um tiro n'água, também, mas eu arriscaria.

Rs

Beijos, amiga. Dois.

ℓυηα

°•~ ∂ąnnι °•~ disse...

Luninha,

Levo comigo o benefício da dúvida:
No meu ponto de vista, René Descartes está meio demodèe com o seu "penso, logo existo" rsarsrsr... Eu colocaria um pouco de sentimento nisso.
Pense comigo: *[sinto logo, existo]
Se na verdade sinto o que sinto, me jugo verdadeiramente. E serei tal qual pareço em mim.
Sim, serei. Porque sinto! Se sinto, logo existo.

Que meus sentidos estejam sempre apurados pra sentir...
Que venham os devaneios;
Que venham as percepções;
Que venham as sensações.

ai, ai............

E que os filósofos 'Descarteanos' não leiam isto. rsrsr...

Bjs!

Bom Domingo Luninha!

=)

Luna Sanchez disse...

Opa, que venha tudo o que temos direito, e o que não temos, que venha também, por pura ousadia! \o/

Beijo, flor.

ℓυηα