Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

5.8.09

Xc. dos Seres

Nat

_________Se ele ainda estiver a dormir quando eu voltar ao quarto, e o clavicórdio continuar a reger o abismo com a sua simples presença e a sonoridade que pressinto,
sento-me à entrada da ausência, aspirando o meu vagar nocturno e o movimento dos músculos das árvores,


lugar particular ali,
lugar universal aqui.

[Maria Gabriela Llansol]

^^

Um comentário:

TetÊ disse...

DanninhAA!!


O lugar particular do outro fica lá, bem preservado...
assim
bem como, devemos fazer do nosso!


Estou com saudade!

Tô lá no Verbo de Rm soltando meu verbo!!!



http://verbofeminino-rm.blogspot.com/


Beijus!!!

Тєтê .......ям иσ νєявσ