Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

21.8.09

Estão a bater à Porta

Estão a bater à porta. De cada lado da
fechadura algo acontece (e como apetece:
um olhar) é assim uma casa: começa.

Quando o dia se extingue (cedo se enche
de corpos que se esvaziam do dia) como
uma fonte nunca cessa de entornar seu
nascimento. Escuta: estão a bater à porta.

São esses os alicerces de uma casa (a
mão da mãe? o pé do pai?) uma casa não
se ergue pelo lugar da porta mas pelo

Que em cada transpõe essa ferida (essa
fácil abertura). O fim de tarde escorre
(os pátios ardem de luz) ouves agora?
estão a bater à porta: Que se defenda.

[João Luís Barreto Guimarães]

^^

3 comentários:

O Profeta disse...

Não me queres dizer onde mora o teu sorriso
Ausente do incontido abraço
Ausente das palavras felizes
Envolto em nuvem escura no espaço

Não me queres dizer o rumo
Que leva ao teu terno coração
Não me queres abrir as portas
Da cor vibrante da paixão?



Bom fim de semana



Doce beijo

Blue disse...

Estão a bater na porta,
quem poderá ser a esta hora?
Será que é o frio que esta chegando,
para mais uma noite distribuidno friagem?

Beijos

°•~ ∂ąnnι °•~ disse...

O Profeta, sempre com belas palavras a me alegrar...

Blue, por enquanto é só o frio... E, acho que daqui pra frente não será diferente - pelo menos por enquanto.

Bjs e bom final de semana!


Danni

=)