Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

16.7.09

Metade

Que a força do medo que tenho
não me impeça de ver o que anseio
que a morte de tudo em que acredito
não me tape os ouvidos e a boca
porque metade de mim é o que eu grito
mas a outra metade é silêncio.

Que a música que ouço ao longe
seja linda ainda que tristeza
que a mulher que amo seja pra sempre amada
mesmo que distante
porque metade de mim é partida
mas a outra metade é saudade.


Que as palavras que eu falo
não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
apenas respeitadas como a única coisa
que resta a um homem inundado de sentimentos
porque metade de mim é o que ouço
mas a outra metade é o que calo.

Que essa minha vontade de ir embora
se transforme na calma e na paz que eu mereço
e que essa tensão que me corrói por dentro
seja um dia recompensada
porque metade de mim é o que penso
mas a outra metade é um vulcão.


Que o medo da solidão se afaste
e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável
que o espelho reflita em meu rosto num doce sorriso
que eu me lembro ter dado na infância
porque metade de mim é a lembrança do que fui
a outra metade não sei.

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
pra me fazer aquietar o espírito
e que o teu silêncio me fale cada vez mais
porque metade de mim é abrigo
mas a outra metade é cansaço.

Que a arte nos aponte uma resposta
mesmo que ela não saiba
e que ninguém a tente complicar
porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
porque metade de mim é plateia
e a outra metade é canção.

E que a minha loucura seja perdoada
porque metade de mim é amor
e a outra metade também.

[Oswaldo Montenegro]
^^

9 comentários:

A.S. disse...

°•~ ∂ąnnι °•~

Não te basta a meia praia... queres o mar inteiro e o céu todo que com ele se confunda!
Não há para ti excesso de infinito!!!
És intensa... Imensa... Completa!


Beijos...

Faça a Diferença !!! disse...

Menina,

Cada vez que vejo o eu blog fico encantado É DEMAIS!!!


MARAVILHOSO!!!!

Um abração,
Ricardo Sérgio

Blue disse...

Não, não acredito nesta metade!

És inteira,
no silêncio,
na saudade,
na lembrança,
no pensamento,
no cansaço,
na música
e principalmente é inteira no,
amor!

Beijos

Luna Sanchez disse...

Somos mundos inteiros, povoados por sentimentos antagônicos e complementares.

Linda a tua postagem. Linda, aliás, como sempre são.

Beijo, Danni.

ℓυηα

Denise disse...

Porque metade de mim é INTEIRA

beijo

Denise

Candoca disse...

Seu blog é lindo! Parabéns!
Gostaria de te convidar para fazer parte do meu blog: camadegatogoytaca.blogspot.com
Conto com sua participação e divulgação.
Um abraço
Candoca

O Profeta disse...

Ao meu querer!
Dias noites, estações esquecidas
Inventei sonhos para sonhar
Lavei mágoas, dores perdidas

Uma árvore toca as águas da lagoa
O nevoeiro faz desenhos nas cumeeiras
Um Melro negro solta um pio ao acaso
A palavra quero-te diz-se de mil maneiras


Convido-te a ver a Cor da Claridade


Doce beijo

J. Araújo disse...

Muito bonito seu blog. Voltarei outra hora com mais tempo.

bjs

Peggy disse...

se pensamos que amamos sem loucura
ou se fazemos disso,
uma ilusão...
não é amor e não sendo
amor,
que graça tem?

beijo