Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

12.3.09

Que tal?

...saltássemos por momentos para outro mundo, um mundo onde não fôssemos nada nem ninguém? Um local idealizado por nós, em que não houvesse lugar para o mais pequeno dos problemas. Um local onde algumas pessoas não nos conseguiriam alcançar. Podia ser outra cidade, outro país, outro universo... só tinha de ser longe daqui. Será que podemos?


Acende o meu olhar
Inventa um nome
Escolhe uma idade
Sonho
.
Escolhe uma idade
Inventa silêncio
Para mim
.
Porque estarei sempre contigo quando sonhares
Porque serei sempre aquele de que precisares
.
Em segredo, pelas ruas, a noite não pára,
Encontra sombras e fumo, e mágoa, silêncio,
Mas em ti só luz e brilho, milagres,
Manhã nova que nasce, manhã viva que cresce
.
E eu sempre a teu lado
E eu sempre contigo
Sonho
.
Através de ti, passam os dias
As tuas mãos quase vazias
.
Mas tu sabes que tens o sonho que te ilumina
Tu sabes que tens a razão que te inunda de luz
.
Em segredo, pelas ruas, a noite não pára,
encontra sombras e fumo, e mágoa, silêncio,
Mas em ti só luz e brilho, milagres,
Manhã nova que nasce, manhã viva que cresce
.
E eu sempre a teu lado
E eu sempre contigo
Sonho
.
Acende o meu olhar
.
(Podemos?...)
.
Que tal na próxima terça?
.
[Letra: José Luís Peixoto/Música: Quinta do Bill]
^^