Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

3.2.09

Mais um mês a começar


Começo a duvidar que existas além de mim. Não te sinto cá fora.
O que me incomoda, não é teres partido.
O que me incomoda é teres deixado a ausência. Porque não houve corte. A linha é continua, sem início ou fim. E passam-se os meses, sem se passar nenhum. Antecipo a tua ausência, até à clara certeza de algo ter morrido.
^^

3 comentários:

Tecnenfermaginando disse...

danni,
a dor do amor partido

ah que bom...

ainda há de sentir isto mtas outras vezes!

bjo!

°•~ ∂ąnnι °•~ disse...

Teresa,
Não é amor partido.
É algo que nem se quer chegou a começar.
Se fosse amor partido, ainda assim seria amor.

^^

Enfermeiro disse...

Não sei o que é pior.

Não ter já aquilo que já tivémos ou não ter aquilo que queriamos ter, nunca tivemos e so imaginamos ter.