Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

25.7.13

Pode Ser


Pode ser que chuva, que cheiro, que colo, que abraço, que mãos, que lábios, que falas, que preguiça, que exageros, que delícias, que disposição, que acalanto, que música, que dia, que noite, que lua, que chão. Pode ser que fome, que alegria, que tranquilidade, que magia, que beleza, que poesia. Pode ser que tanto, que tudo, que nada, que quanto, que mundo. Pode ser que vento, que nuvem, que aurora, que arco-íris, que enrosco, que cores, que árvores, que mar, que folhas, que fotografias. Pode ser que sorrisos, que lágrimas, que gargalhadas, que piadas, que emoção. Pode ser palavras. Pode ser que sim. Pode ser que não. Pode ser em ti. Pode ser em mim. Pode ser então.


 [Marla de Queiroz]


^^

Nenhum comentário: