Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

17.2.13

Sessão pipoca - Sexo Frágil - Como dar o Fora




(m) mulher / (h) homem:

♪ m- Faz tanto tempo que ele não liga pra mim
Faz tanto tempo que tudo deixou de existir
Agora que eu aprendi a viver esquecendo esse amor
Ele aparece bem tarde na noite e me diz que voltou.

m - Quem é?
h - Sou eu.
m - Que é que você quer?
h - Você.
m - É tarde.
h - Por que?
m - Porque hoje sou eu quem não quer mais você.

m - Por isso, fora, esqueca meu rosto, meu nome, esta casa, e siga seu rumo
h - Não consigo compreender
m - Fora, esqueça meus olhos, meu corpo, meu beijo e todo meu mundo.
h - Está mentindo, posso ver
m - Fora, esqueça que eu vivo, tá tudo acabado e não se surpreenda
m - Esqueça de mim que afinal pra esquecer você tem experiência. ♪♫

^^

Nenhum comentário: