Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

5.4.12

Do Lado de Dentro


Sou feito de esquinas. Cada um se esconde em cada tu em cada uma. Arrependo-me. Grito ao mar de anónimos que me cansam ainda que em vão por entre eles te busquei.
O amor compassado e irregular como um signo.
E procuro-te sempre, na ausência da carne que os dias me traçam sobre a pele.

E depois na presença eu
presença tu



[Manuel Cintra]


^^

Um comentário:

Newton Kage disse...

"Procuro-te", goste do trecho.
Boa Páscoa, Querida!