Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

28.1.12

Não tenho nada para dizer


não tenho pressa
nada se repete ao encontro do meu olhar
assim percorro a distância entre mim e o nada
abandonando-me ao instante e ao seu silêncio
enquanto o mar, ao longe, inexpressivo
me contempla
e da janela eu as espreito, luz e sombra
devagar pelo meu quarto.


[Rui Machado]


^^

Nenhum comentário: