Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

2.1.12

Andavam de noite



Andavam de noite aos segredos
Só porque era noite...
Os bosques enchiam de medos
Quem quer que se afoite
Diziam palavras que pesam
À sombra de alguém
Ninguém os conhece, e passam
Não eram ninguém...

Fica só na aragem e na ânsia
Saudade a fingir
Foi como se fora distância...
Eu torno a dormir.


[Fernando Pessoa]


^^

Um comentário:

May Santos disse...

Fernando Pessoa!
Um dos meus favoritos!
AmoOoo

Beijokas