Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

13.11.11

Auto Definição




Quem procura palavras para se decifrar está buscando autenticar uma farsa.
É sempre um parto difícil, induzido, e não se sabe o que vamos ter que adotar como nosso até o fim da vida.
Quanta responsabilidade, identificar-se!
"Esta sou eu, muito prazer. Sinto isso, gosto daquilo, sou contra, sou a favor..."
É uma idiotice delimitar-se através das preferências e opiniões.
E depois morrer justificando estas escolhas que foram apenas casuais, oportunas, aparecíveis num determinado momento, mas nunca para sempre.
Que sorte têm os tolos, os desprovidos de inteligência, que não fazem a menor questão de saber quem são e muito menos de propagar sua descoberta.
Quanta angústia poupada, quanto motivo para continuar sorrindo apenas por...por...espanto!

[Martha Medeiros]


^^

Um comentário:

Luna Sanchez disse...

Quanto mais se sabe, menos inocente se é.

=*