Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

4.5.11

Quando entre nós o Espaço



Quando estamos
No mesmo lugar,
Perto um do outro,

Quando entre nós o espaço

Está cheio de ti, de nós,
Merecerá ainda o nome de espaço?



[Eugène Guillevic]





^^

2 comentários:

carlos.i disse...

lindo demais seu blog, apaixonei; estou te seguindo tá


(poemasemeninas.blogspot.com/)

Daniel Savio disse...

Eu diria que merece o nome de amor...

Fique com Deus, menina xará Danielle.
Um abraço.