Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

9.4.11

Por agora as palavras são marcas que os dedos deixam na pele


Quando já não há restos de voz na fala no momento em que devagar escrevo silêncio no corpo Como movimento imperfeito da respiração aceito lágrimas. [Maria Sousa] ^^

Nenhum comentário: