Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

17.3.11

Olho com olhos de não ver


Olho
com olhos de
não ver

e vejo
o que só assim
posso ver

depois fecho
os olhos e
continuo

a ver o que
só assim pode
ser visto

e sei então
o que já antes
sabia


ver é sempre
uma forma de
cegueira


[Luís Ene]


^^

Um comentário:

Luna Sanchez disse...

Talvez porque sempre algo nos escape...vá saber.

Beijo, beijo.