Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

22.3.11

Logo não mais me restava em que pensar,


restavam somente coisas em que não queria pensar. Bem que eu gostaria de chorar um pouco, mas não podia, porque não havia motivo algum para isso.

(...) então paro na calçada, virando as costas a uma loja grande, olho as pessoas entraram e saírem e penso que as que saem deveriam ficar lá dentro e que as que entram deveriam ficar de fora, isso economizaria um bocado de cansaço e movimentos.


[Agota Kristof]


^^

2 comentários:

Malu disse...

E são essas tais coisas, nas quais não queremos pensar, em que mais pensamos.
Elas, sendo assim, nos movem...
Abraços

Luna Sanchez disse...

Às vezes não se tem, aparentemente, motivo para ficar triste e isso é horrível, porque é dor com cobertura de culpa.

"Gente é coisa estranha, mesmo."

Beijo, flor.