Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

1.2.11

Vidas Inteiras


Não seja por isso
Eu não tenho pressa
Eu posso esperar vidas inteiras
Mas tenha certeza de que lhe interessa
Deixar escapar o ouro do agora
Para que não seja numa tarde dessas
Tarde demais


[Célia]


^^

2 comentários:

Nara disse...

A gente espera, mas a essencia tem que permanecer.

Beijo!

Saudade de você!

Daniel Savio disse...

Tardes para se compartilhar a alguém...

Fique com Deus, menina xará Danielle.
Um abraço.