Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

6.2.11

no princípio era...


...não dormia sem o escuro absoluto, doíam-lhe os olhos de ter visto cidades, de ter esquecido gente, do frio do vidro nas palavras. Demorava tanto a entender o mundo que agora não dormia de muita luz que as coisas tinham antes sequer de serem suas. Trabalhava-se tanto nesse lugar onde vivia com outros como ela que às vezes pensava: tão estranho nascer (quer dizer, nascer mesmo, estar aqui) para o dia passado com estranhos.
E por isso, no princípio, não dormia sem procurar o amor, sem beijar na testa a noite que acabava serena e exausta como a noite.

No princípio era.
Depois esvaziou-se com cuidado.


[Filipa Leal]
^^

2 comentários:

Daniel Savio disse...

Por que tristemente me lembrei que fui me esvaziando dos meus sonhos...

Fique com Deus, menina xará Danielle.
Um abraço.

Malu disse...

No princípio se tinha o cuidado de dar o carinho , a preocupação com o outro...
Com o tempo muitos se esvaziam mesmo e, na maioria das vezes, sem cuidado.

Abraços