Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

26.1.11

Os domingos de Lisboa


Os domingos de Lisboa são domingos
Terríveis de passar - e eu que o diga!
De manhã vais à missa aS. Domingos
E à tarde apanhamos alguns pingos
De chuva ou coçamos a barriga.

As palavras cruzadas, o cinema ou a apa,
E o dia fecha-se com um último arroto.
Mais uma hora ou duas e a noite está
Passada, e agarrada a mim como uma lapa,
Tu levas-me p'ra a cama, onde chego já morto.

E então começam as tuas exigências, as piores!
Quer's por força que eu siga os teus caprichos!
Que diabo! Nem de nós mesmos seremos já senhores?
Estaremos como o ouro nas casas de penhores
Ou no Jardim Zoológico, irracionais, os bichos?
... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...
... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...
Mas serás tu a minha «querida esposa»,
Aquela que se me ofereceu menina?
Oh! Guarda os teus beijos de aranha venenosa!
Fecha-me esse olho branco que me goza
E deixa-me sonhar como um prédio em ruína!...


[Alexandre O´Neill - Poesias Completas - 1951/1981]



^^

4 comentários:

Malu disse...

Pois eu gostaria de passar um domingo em Lisboa e sentir um pouco desta cidade que não conheço.
Abraços

Franzé Oliveira disse...

A liberdade é uma palavra.
Ser livre é uma ação.
As músicas nos lembram ações vividas e ainda por vir.
Liberdade é uma canção...

Daniel Savio disse...

Hah, mas o amor nos exige que não viremos ruinas, pelo menos ruina solitárias e mortas...

Fique com Deus, menina Xará Danielle.
Um abraço.

J Araújo disse...

Parabéns!! Um lindo blog. Voltarei outras vezes.

Abraço