Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

19.1.11


À infância só se chega partindo de muito longe. A infância é aí, onde partes, não onde chegas. Olha para trás. Que vês? Nada. A memória é a única coisa que verdadeiramente te pertence, mas lembras-te de um estranho. Como poderias, há muitos anos, saber que eras apenas a lembrança de um estranho:

tu?

Palavras é tudo o que tens. Palavras. Palavras. Palavras. Alguma vez tiveste outra coisa?


[Manuel António Pina]


^^

3 comentários:

Valquíria Oliveira Calado disse...

A infância da gente marca, em palavras e ações, mas o carinho que recebemos ficara tatuado na pele da alma pra sempre, bjinhos.

Daniel Savio disse...

As vezes sim, as vezes tive um sorriso em meu rosto...

Hua, kkk, ha, ha, pensando um pouco fora do contexto.

Fique com Deus, menina xará Danielle.
Um abraço.

*Erika Rayana! disse...

nossa eu naum sei responder se alguma vez tive outra coisa além de palavras..

muito belo e interessante..
beijosss