Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

31.1.11

Indecisão


Leves sulcos na dureza da pele. Talvez palavras.
Sob as pedras negras jazem palavras. Possuem a intensidade da luz de uma estrela morta há milhões de anos.
Fica sempre qualquer coisa por dizer. Por fazer. E nunca sei a diferença entre uma outra indecisão.

[Carlos Alberto Machado]


^^

Um comentário:

Daniel Savio disse...

Mas mesmo uma estrela morta é capaz de iluminar por tempo após a sua partida...

Fique com Deus, menina xará Danielle.
Um abraço.