Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

31.1.11

Canção de novela


Toalha molhada
Lâmpada acesa
Cidade parada
Tudo é você

Vento na saia
TV ligada
Espelho d'água
Tudo é você

Sol na janela
Canção de novela
Já passa da hora
E eu preciso
Do seu beijo agora

A luz na cozinha
Toda azulejada
Madrugada afora
Tudo é você

Nuvem de chuva
Guitarra plugada
Noite estrelada
Onda que quebra

Sol na janela
canção de novela
Já passa da hora
E eu preciso
Do seu beijo agora


[Composição: Adriana Calcanhotto]


^^

Um comentário:

Daniel Savio disse...

Realmente, quando se ama, o amado (ou amada) é tudo, até a tristeza...

Fique com Deus, menina xará Danielle.
Um abraço.