Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

19.1.11

Aqui neste profundo apartamento


Aqui neste profundo apartamento
Em que, não por lugar, mas mente estou,
No claustro de ser eu, neste momento
Em que me encontro e sinto-me o que vou,
Aqui, agora, rememoro
Quanto de mim deixer de ser
E, inutilmente, [....] choro
O que sou e não pude ter.


[Fernando Pessoa]
^^

2 comentários:

Malu disse...

Todos nós muitas vezes lamentamos o que podíamos, mas deixamos de ser...
Faz parte da construção dos nossos dias.
Abraços e, não se lamente... mesmo que seja difícil, siga sempre em frente!

Daniel Savio disse...

Mas pelo jeito, és solidão...

Fique com Deus, menina xará Danielle.
Um abraço.