Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

12.11.10

Contudo


Contudo, contudo,
Também houve gládios e flâmulas de cores
Na Primavera do que sonhei de mim.
Também a esperança
Orvalhou os campos da minha visão involuntária,
Também tive quem também me sorrisse.
Hoje estou como se esse tivesse sido outro.
Quem fui não me lembra senão como uma história apensa.
Quem serei não me interessa, como o futuro do mundo.
Caí pela escada abaixo subitamente,
E até o som de cair era a gargalhada da queda.
Cada degrau era a testemunha importuna e dura
Do ridículo que fiz de mim.

Pobre do que perdeu o lugar oferecido por não ter casaco limpo com que aparecesse,
Mas pobre também do que, sendo rico e nobre,
Perdeu o lugar do amor por não ter casaco bom dentro do desejo.
Sou imparcial como a neve.
Nunca preferi o pobre ao rico,
Como, em mim, nunca preferi nada a nada.

Vi sempre o mundo independentemente de mim.
Por trás disso estavam as minhas sensações vivíssimas,
Mas isso era outro mundo.
Contudo a minha mágoa nunca me fez ver negro o que era cor de laranja.
Acima de tudo o mundo externo!
Eu que me agüente comigo e com os comigos de mim.

[Álvaro de Campos]


^^

2 comentários:

***MissUniversoPróprio*** disse...

Nossa, que bonito...um tanto triste, mas bonito.

Tem autores que parecem invadir nossa alma e arrancar de lá as palavras que nunca dissemos, né?

Flor, muito bom te ver lá no blog, viu? Obrigada pela visita e desculpa a demora em vir aqui. Beijão, se cuida.

Daniel Savio disse...

Mas será que dá para ver o mundo sem deixar se influenciar?

E algumas coisas realmente se transformam numa guerra para nos mostrar o que é realmente.

Pessoa, eu fui visitar a Déia neste último final de semana, o Leo é tão lindinho, sendo que a Déia me deixou a incumbência de te levar lá, então quando vamos visitar Déia / Grandão / Leo e Cia?

Fique com Deus, menina xará Danielle.
Um abraço.