Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

9.11.10

Amanhã Não se Sabe


Como as folhas, como o vento
Até onde vai dar o firmamento
Toda hora enquanto é tempo
Vivo aqui neste momento

Hoje aqui, amanhã não se sabe
Vivo agora antes que o dia acabe
Neste instante, nunca é tarde
Mal começou e eu já estou com saudade

Me abraça, me aceita
Me aceita assim meu amor
Me abraça, me beija
Me aceita assim como eu sou
Me deixa ser o que for

Como as ondas com a maré
Até onde não vai dar mais pé
Este instante tal qual é
Vivo aqui e seja o que Deus quiser

Hoje aqui não importa pra onde vamos
Vivo agora, não tenho outros planos
É tão fácil viver sonhando
Enquanto isso a vida vai passando

Me abraça, me aceita
Me aceita assim meu amor
Me abraça, me beija
Me aceita assim como eu sou
Me deixa ser o que for


[Composição: Sérgio Britto]


^^

3 comentários:

Luna Sanchez disse...

Aaaahhhh...eu vivo com saudades, vivo aos suspiros, jogando beijos ao vento!

Rs

Coisa boa relembrar essa canção, Dannizinha!

Beijos!

ℓυηα

Luna Sanchez disse...

Aaaahhhh...eu vivo com saudades, vivo aos suspiros, jogando beijos ao vento!

Rs

Coisa boa relembrar essa canção, Dannizinha!

Beijos!

ℓυηα

Daniel Savio disse...

Tão bonita a poesia, principalmente a parte de ser livre para ser o que é...

Fique com Deus, menina xará Danielle.
Um abraço.