Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

27.10.10

Flutuações

O sonho aprendeu a pairar bem alto,
lá onde o sobressalto nem sequer nasceu.
Namorou a trôpega ilusão,
até que trêfego e desajeitado,
desprendeu-se de seu reino idealizado,
veio pousar tamborilante em minha mão.
Assim, aquecido e aconchegado,
parece que se esqueceu de ir embora.
Na hora em que ressona distraído,
eu lhe pingo malemolências ao ouvido,
à sua inquietação eu me sujeito.
Eis que o sonho dorme agora aqui comigo,
seu corpo repousa no meu peito.


[Flora Figueiredo - Amor a Céu Aberto]

^^

3 comentários:

Jefferson Kroutz [L.r.y.s.a.] disse...

Namorou a trôpega ilusão,
até que trêfego e desajeitado,
desprendeu-se de seu reino idealizado... Gostei!

_______________________________
Histórias de ônibus

http://jeefkroutz.blogspot.com/

Por: Jeef Kroutz [L.r.y.s.a.]

! Marcelo Cândido ! disse...

Que beleza de texto
...

Daniel Savio disse...

Hah, mas é tão bom isto, estes sentimento entrelaçado a realidade...

Fique com Deus, menina xará Danielle.
Um abraço.