Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

9.10.10

Falar de Amor não é Amar


Eu segui os seus passos
Achando que você
Soubesse onde ir.

Eu me vi em seus sonhos
Perdido, sem saber
Que direção seguir.

Mundos tão estranhos
Nas palavras que eu ouvi
No fundo dos seus olhos
Afogado em gelo
Eu descobri.

Falar de amor não é amar
Não é querer ninguém
Falar de amor
Não é amar alguém.


Eu caí em pedaços
Um grão de areia carregado
Por marés.

Derreti em seus lábios
Sentindo o chão sumir
Embaixo dos meus pés.

Dias esquecidos
No verão que eu inventei
Eu sei que você vive
Das mentiras que eu acreditei


[Capital Inicial]


^^

2 comentários:

Daniel Savio disse...

Provar realmente que ama, não é se impor, mas sim deixar que realmente o outro livre para que possa amar do jeito particular dele...

Fique com Deus, menina xará Danielle.
Um abraço.

Eraldo Paulino disse...

A minha canção predileta do album Rosas e vinho Tinto!

Bjs que ainda alcançam o céu!