Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

6.7.10


Afundada no seu apertado vestido de noite
dorme entre cristais.
Os olhos fechados
a boca fechada
o sexo fechado.
Uma caixa de cristal
dentro de outra caixa de cristal.


[Miriam Reyes]


^^

2 comentários:

ErikaH Azzevedo disse...

Fragil é viver assim, cheia de cuidados, a vida quer de nós o viver de riscos, o ser de riscos...a super exposição.

Lindo poema.

Esses que são feitos de cristais desconehcem o ser feito de concreto.

Um beijo

Erikah

Daniel Savio disse...

Mas então alguém de ter coragem para abrir a caixa, não é?

Fique com Deus, menina xará Danni.
Um abraço.