Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

10.6.10

Um passeio


Passei por uma esquina. Não gosto de passear em vão, só vou se precisar mesmo de alguma coisa. Ver o que há para ver, despachar o assunto, mas andar por andar, não ando. Só por andar, isso não.
E também não gosto de quebrar nada. Hoje caminhei um pouco até a esquina, depois regressei, continuei a caminhar, depois voltei para casa, fui ate a cozinha, tirei um copo do armário, não me perdi, tirei-o e lancei-o para o chão. Não faço cenas. Primeiro segurei-o, mas logo o deixei cair. Tudo isto aconteceu hoje. O som ecoou muito longe.


[Endre Kukorelly]

^^

Um comentário:

Luna Sanchez disse...

Para tudo há um porquê, mesmo que a gente não saiba qual é.

Beijo, flor.

ℓυηα