Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

1.5.10

S.I.N.A.I.S


Um dia escrevi que tudo é autobiografia, que a vida de cada um de nós a estarmos contando em tudo quanto fazemos e dizemos, nos gestos, na maneira como nos sentamos, como andamos e olhamos, como viramos a cabeça ou apanhamos um objeto no chão. Queria eu dizer então que, vivendo rodeados de sinais, nós próprios somos um sistema de sinais.

[José Saramago - Cadernos de Lanzarote, 1997]

^^

2 comentários:

Daniel Savio disse...

Meio complexo, pois ao ler penso que sejamos responsaveis por aqui que passamos ao mundo, os sinais que deixamos nele...

Mas por que não perder o post de amanhã menina?

Fique com Deus, menina Danni.
Um abraço.

Nara disse...

Concordo!

Estamos em tudo, em cada detalhe.

Beijo,
Nara