Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

31.5.10

Pronominais


Dê-me um cigarro
Diz a gramática
Do professor e do aluno
E do mulato sabido
Mas o bom negro e o bom branco
Da Nação Brasileira
Dizem todos os dias
Deixa disso camarada
Me dá um cigarro

[Oswald de Andrade]

^^

3 comentários:

Rodrigo Melo disse...

Sei uma voltinha por aqui... muito legal o blog! Estou seguindo.
Criei um semana passada: http://penapraquetequero.blogspot.com/
Se animar, vai lá! Beijo

Luna Sanchez disse...

Passando pra deixar um beijo. ^^

ℓυηα

Eraldo Paulino disse...

Oswald é meu artista predileto da primeira geração de mordenistas brasileiros]


Bjs!