Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

5.5.10

Vida Obscura


Ninguém sentiu o teu espasmo obscuro,
Ó ser humilde entre os humildes seres.
Embriagado, tonto dos prazeres,
O mundo para ti foi negro e duro.

Atravessaste num silêncio escuro
A vida presa a trágicos deveres
E chegaste ao saber de altos saberes
Tornando-te mais simples e mais puro.

Ninguém Te viu o sentimento inquieto,
Magoado, oculto e aterrador, secreto,
Que o coração te apunhalou no mundo.

Mas eu que sempre te segui os passos
Sei que cruz infernal prendeu-te os braços
E o teu suspiro como foi profundo!


[Cruz e Sousa]

^^

4 comentários:

Andréa Silveira disse...

Ótima escolha! Outro mto bom! Bjs!

Byanka Arruda disse...

Não sei onde você arranja tantas imagens lindas. =D
Parabéns!

Bruna Fernanda, 23 anos! disse...

Sábias palavras
Parabéns pelo post, pelo blog
Bjo =*

Daniel Savio disse...

Lembra um pouco um rito funebre, mas será que tudo é morte na vida?

Fique com Deus, menina xará Danni.
Um abraço.