Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

23.5.10

Porque hoje a noite me parece uma invenção em aberto
sobre a cama abandono palavras

Tenho o tempo nas pálpebras

Assim, quando alguém me perguntar pelo sentido da insónia

Eu, parada no meio do quarto,
direi que não sabia que na solidão se grita alto
para sobreviver ao medo.


[Maria Sousa]


^^

4 comentários:

O Profeta disse...

Hoje perdi-me na cidade do pensamento
A vida correu-me na frente em corro-pio
Hoje um pássaro descobriu o voar
Hoje senti na emoção a força de um rio

Segui para nascente fugindo à noite
Inventei um cavalo branco voador
Despi-me da obrigação de ser outro
Afastei da viagem a sombra do desamor


Doce beijo

A.S. disse...

A pior das solidões é aquela que sentimos, apesar de acompanhados!


Beijosss
AL

Daniel Savio disse...

Mas a solidão sempre grita mais alto que a gente...

Fique com Deus, menina xará Danni.
Um abraço.

Insana disse...

É um bom lugar para se refazer...

Bjs
Insana