Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

18.4.10

Ainda Bem


Ainda Bem
Que você vive comigo
Porque senão
Como seria esta vida?
Sei lá, sei lá

Nos dias frios
Em que nós estamos juntos
Nos abraçamos sob o nosso conforto
De amar, de amar

Se há dores tudo fica mais fácil
Seu rosto silencia e faz parar
As flores que me manda são fato
Do nosso cuidado e entrega
Meus beijos sem os seus não dariam
Os dias chegariam sem paixão
Meu corpo sem o seu uma parte
Seria o acaso e não sorte

Neste mundo de tantos anos
Entre tantos outros
Que sorte a nossa heim?
Entre tantas paixões
Esse encontro nós dois
Esse amor

Entre tantos outros
Entre tantos séculos
Que sorte a nossa heim?
Entre tantas paixões
Esse encontro nós dois esse amor

Entre tantas paixões
Esse encontro nós dois esse amor...

[Compositora: Vanessa da Mata]

^^

4 comentários:

Daniel Savio disse...

Seria uma vida procurar um amor, atrás da felicidade, atrás de sonhos, sem nunca esquecer de querer se feliz...

Estranhamente, pensei isto =P

Fique com Deus, menina xará Danni.
Um abraço.

Denise disse...

Ainda bem ...ainda

carinho

Sônia Silvino disse...

Vim deixar umas beijocas!!!
Boa semana!

Luna Sanchez disse...

Amo essa música!

♪ "Que sorte a nossa, hein?" ♫

^^

Beijos, flor.

ℓυηα