Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

24.1.10

A Púrpura dos Dias


Falar-te-ei de como se erguem
em flor as sementes,
de como o luar pode desfalecer
a solidão de um nome
e atirar-nos para o lugar das mãos

Ao longe a púrpura dos dias,
do ar respirado, da vida
que não pára de bater
em cada grão de terra
- nas tuas mãos, o meu
coração de lã e o frio
que não mais te tocará
por ser possível ser feliz.

[Vasco Gato]
^^

6 comentários:

***MissUniversoPróprio*** disse...

O amor tudo aquece.

;)

Lindo, flor!

Obrigada pelo carinho lá no blog, viu? ;)

=*****

! Marcelo Cândido ! disse...

Belo poema
!!!
viite-me:
http://palavrinhasmarcelo.blogspot.com/

Boa semana de inspiração

Sonhadora disse...

Lindissimo poema...muita poesia e inspiração.

beijinhos
Sonhadora

Eraldo Paulino disse...

E(s)tonteante!

Com essas palavras o coração nem precisaria ser de lã para o frio não ousar chegar perto.

Bjs!

Luna Sanchez disse...

(suspiro...)

=**

ℓυηα

Almeida Lucius ™/ Ulisses Reis ® disse...

Muito bom esse poema, gostei, beijos !!!