Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

26.12.09


Quantas vezes me fechei para chorar
na casa de banho da casa da minha avó
lavava os olhos com shampoo
e chorava
chorava por causa do shampoo
depois acabaram os shampoos
que faziam arder os olhos
no more tears disse johnson & johnson
as mães são filhas das filhas
e as filhas são mães das mães
uma mãe lava a cabeça da outra
e todas têm cabelos de crianças loiras
para chorar não podemos usar mais shampoo
e eu gostava de chorar a fio
e chorava
sem um desgosto sem uma dor sem um lenço
sem uma lágrima
fechada à chave na casa de banho
da casa da minha avó
onde além de mim só estava eu
também me fechava no guarda-vestidos
mas um guarda-vestidos não se pode fechar por dentro
nunca ninguém viu um vestido chorar...

[Adília lopes]

^^

3 comentários:

Daniel Savio disse...

Poema triste, mas senão me engano, ninguém se importa com um vestido (pelo menos alguém com conteudo)...

Fique com Deus, menina xará Danni.
Um abraço.

Luna Sanchez disse...

^^

Eu choro sem shampoo, sem vestido...eu choro sem pudor.

Beijo, Dannizinha.

ℓυηα

εïз εïз Doce Essencia εïз εïз disse...

Um poema realmente triste,depois de um dia tao lindo como fora o Natal,mas que seja somente um poema triste e que nao faça parte de teus dias,minha amiga,espero que outros poemas venham,mas sejam alegres assim como vc o e !

Doces Beijos

Doce Essencia